365 Agro Global Information
Acessibilidade: 
Bem vindo!
Nome_Patrocinador
 
terça-feira, 24 de Outubro de 2017  |  Actualizado às 16:18

Atualidades

Exportação de mel em crescimento

A exportação de mel português está a aumentar há quatro anos consecutivos, sendo a Alemanha o principal destino, revela um estudo de Sofia Isabel Andrade Ricardo, aluna de mestrado do Instituto Superior de Contabilidade e Administração do Instituto Politécnico do Porto.

As exportações nacionais tiveram, no ano passado, como principal destino a Alemanha (58%), seguida da Espanha (23%), Bélgica (7%), Angola (6%), EUA (4%) e França (1%) e, desde 2009, têm vindo sempre a aumentar.

Este trabalho, intitulado “A exportação do mel português: um estudo exploratório sobre as motivações, barreiras e estratégias”, ressalta alguns aspectos importantes relativos à exportação de mel:

  • O potencial das exportações nacionais para países como os EUA, Alemanha, Japão, Reino Unido, França, Bélgica, Espanha, Itália, Polónia e a Arábia Saudita;

  • Em Portugal, os preços médios à expedição de mel no mercado comunitário foram muito inferiores aos preços médios das exportações destinadas aos países extracomunitários (entre 2004 e 2009). Esta discrepância é em parte explicada pela qualidade e valorização dada ao mel nacional monofloral, pelos países terceiros. Deste modo é essencial investir em produção de qualidade, a mercados que estejam dispostos a pagar pelo factor qualidade e autenticidade do mel nacional;

  • Uma das principais barreiras à exportação de mel prende-se essencialmente com o baixo nível de produção;

  • O mel português exportado destina-se essencialmente a lojas gourmet e, no caso do mel a granel, destina-se à indústria (podendo ser transformado ou misturado com outros méis);

  • Um dos fornecedores mais importantes é o Agrupamento de Produtores de Mel do Parque (Mel do Parque de Montesinho), que tem uma quota de exportação de 40% e vende directamente com marca própria para mercados como a Alemanha, Angola, Argélia, França, Luxemburgo, Marrocos e Qatar;

  • A dimensão insuficiente da produção nacional permite concluir que é mais interessante direccionar o mel português para nichos de mercado de valor acrescentado e utilizar as estratégias de marketing mais adequadas, tanto mais que a produção é limitada e dificilmente concorrencial com países como a China, que liderava, em 2011, as exportações mundiais, com 99.988 toneladas.

O sector nacional possui aproximadamente 17 mil apicultores, que produziram 7.792 toneladas. A exportação de mel, em 2012, foi de 1.660 toneladas.

Consultar trabalho

Fonte: Veja Portugal; Tese de Mestrado de Sofia Isabel Andrade Ricardo

Publicada: 02-01-2014 22:00