365 Agro Global Information
Acessibilidade: 
Bem vindo!
Nome_Patrocinador
 
terça-feira, 24 de Outubro de 2017  |  Actualizado às 16:18

Atualidades

Operação "Azeitona Segura" apreende mais de 16 mil quilos de azeitona

Mais de 16 mil quilos de azeitona apreendidos e 53 pessoas detidas foram o resultado da operação "Azeitona Segura", que a GNR levou a cabo para prevenir o furto daquele produto agrícola, revelou ontem a Guarda Nacional Republicana.

A operação decorreu em todo o país entre 01 de novembro de 2013 e 31 de janeiro de 2014 e tinha como objeto a azeitona após ter sido colhida e antes de ser entregue nos lagares.

Para a "Azeitona Segura" foram destacados 11.678 militares, que realizaram 2.238 ações de fiscalização/sensibilização. Estas resultaram na detenção de 53 pessoas por furto de azeitona e na apreensão de 16.715,50 quilos de azeitona.

Foram ainda identificadas 382 pessoas, detetados 32 crimes e registadas 232 contraordenações.

Segundo a GNR, o furto de azeitona "tem um grande impacto económico para os proprietários das explorações".

"Com esta operação, para além da prevenção da criminalidade, pretendeu-se aumentar o sentimento de segurança e a confiança do público-alvo, necessárias para o desenvolvimento das suas atividades agrícolas", lê-se no comunicado.

Só em Portalegre, foram detidas 40 pessoas por apanha ilegal de azeitona. Em comunicado, o comando territorial de Portalegre da GNR explicou que se registaram 18 crimes, no âmbito dos quais foram detidas 40 pessoas, tendo sido apreendidos 13.909 quilos de azeitona. Além das detenções, a Guarda identificou ainda 27 pessoas por suspeita da prática de furto de produtos agrícolas. De acordo com a força de segurança, os homens são a maioria dos detidos (26), com idades entre os 19 e os 65 anos, tendo sido ainda identificado um menor, de 15 anos, por suspeita de furto. A "grande maioria" dos detidos, mais precisamente 29 pessoas, tem nacionalidade portuguesa, refere a GNR, acrescentando os suspeitos residem, sobretudo, nos concelhos de Elvas e Campo Maior, onde ocorreu a maioria dos furtos.

Fonte: Dinheiro Digital; Radio Renascença

Publicada: 05-02-2014 10:00